"Esvaziou-se a si mesmo..." (Flp 2,7)

Monday, 20 August 2018

  • Slide image one
  • Slide image two
  • Slide image three
Retiro de Espiritualidade

Clique aqui e faça já sua pré-inscrição!

 
A KÉNOSIS NA VIDA DE SÃO JOSÉ


Neste dia em que toda a Santa Igreja celebra a solenidade de seu Glorioso patrono, São José, que nós possamos nos aproximar como discípulos desse mestre de vida interior para juntos refletirmos sobre sua vida vazia de si e tão plena de Deus. Por meio de uma vida de oração, alcançaremos a transformação do nosso ser e consequentemente do nosso agir. Podemos, para isso, dar alguns passos determinados no caminho de santidade, como nos aconselha Santa Teresa D`Ávila, ao falar de São José: “quem não encontrar mestre que lhe ensine oração, tome a este glorioso Santo por mestre e não errará no caminho”. O evangelho não evidencia muitos detalhes sobre São José, mas podemos afirmar, sem sombra de dúvidas, que teve prontidão, pois sendo um homem de oração, soube distinguir a voz de Deus por meio do anjo que lhe desperta para a maior missão já dada a um homem sobre a terra: ser o custódio do filho unigênito de Deus.

Despertando, José fez como o anjo do Senhor lhe havia mandado e recebeu em sua casa sua esposa. E, sem que ele a tivesse conhecido, ela deu à luz o seu filho, que recebeu o nome de Jesus. (Mt 1, 24-25)

 
Educação dos filhos


Aos cônjuges casados na Igreja Católica, no rito do matrimônio, uma das perguntas que o padre ou o ministro faz aos noivos, é se “aceitam os filhos que Deus conceder e se prometem educar na fé católica que professam. Precisamos estar cientes de que, a nossa santificação e, consequentemente, a nossa salvação, se dá a partir do nosso sim perante o sacerdote, no sacramento do matrimônio e do cumprimento desta resposta em nossas vidas no dia a dia.  O Catecismo da Igreja Católica (CIC),  no parágrafo 1653, nos ensina que:

A fecundidade do amor conjugal se estende aos frutos da vida moral, espiritual e sobrenatural que os pais transmitem a seus filhos pela educação. Os pais são os principais e primeiros educadores de seus filhos. Neste sentido, a tarefa fundamental do Matrimônio e da família é estar a serviço da vida.

 
O amor fecundo


Certa ocasião, Jesus disse aos discípulos: “Pelos seus frutos os conhecereis. (...) Toda árvore boa dá bons frutos e toda árvore má dá maus frutos. (...) Pois uma árvore é conhecida pelo seu fruto.” ( Mt 7,16-20)

A partir desse ensinamento de Jesus, trataremos hoje do Amor Fecundo na Família. Para que essa fecundidade seja alcançada é preciso que haja antes a fertilidade, pois estes dois conceitos estão interligados. Veja:

  • Fecundidade: que pode gerar, reproduzir-se, fértil; que dá muitos resultados.
  • Fértil: que possui alta capacidade produtiva; produz muito.
 
O Perdão na Família


Nossa família é um tesouro precioso que não nos pertence, um tesouro de Deus que por bondade e misericórdia foi a nós confiado. Deus é tão bom e confia tanto em cada um de nós que nos deu, depois Dele, aquilo que é mais precioso sobre a face da terra: a Família, e assim, Ele confiou também a nós, zelar por ela.

Infelizmente, por conta do pecado, o homem perdeu a comunhão com Deus, a comunhão consigo e consequentemente a comunhão com o outro. O convívio ficou insuportável e, por vezes, a melhor e mais fácil opção é a fuga. O homem se tornou um fugitivo, pois foge de sua vocação, de sua felicidade e plenitude, da família e daqueles que o amam.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 1 de 27