"Esvaziou-se a si mesmo..." (Flp 2,7)

Tuesday, 16 October 2018

  • Slide image one
  • Slide image two
  • Slide image three
Rede Nacional de Intercessão: Deus procura intercessores PDF Imprimir E-mail

IntercessaoO que faz de “simples” filhos de Deus, pessoas que se sintam impelidas a permanecer na brecha, ou seja, a interceder, por outros? O que as faz ter autoridade e poder diante do Senhor?

Na história da salvação Deus sempre se revelou àqueles que O buscavam e assim proclamava Sua santidade. O Senhor fazia esse chamado ao seu povo e àqueles que deveriam estar à frente deles (cf. Lv 11,44;19,2;20,26), sendo ungidos pelo Seu Espírito para a missão de conduzi-los e governá-los quer fossem sacerdotes, reis, profetas ou juízes.

Jesus Cristo, então, vem ratificar que a santidade não é uma opção, mas uma imposição do Evangelho (cf. Mt 5, 48). Nós que somos o povo da nova e eterna Aliança, pelos méritos de Cristo e através do Batismo sacramental, devemos responder a vocação universal de todo o batizado. Para tanto, o Espírito Santo nos capacita e nos dá condições de buscarmos a santidade no dia a dia de nossa vida, de maneira bem real e humana.

Quando vamos, então “mergulhando” no Mistério da Santíssima Trindade através da vivência do Batismo no Espírito Santo, nos identificamos e passamos automaticamente a ter compaixão por aqueles que sofrem e que se encontram afastados do Senhor. Nos apresentamos então a Deus em nome de Jesus Cristo, o Cordeiro imolado, para que, na força e no poder do Espírito Santo, interceder pelas situações das famílias, grupos, países e pessoas que se encontram oprimidos.

Em nossos tempos o mundo passa por uma grande crise de fé, chegando até mesmo a contestar as próprias leis da natureza. Infelizmente assistimos hoje ao triste espetáculo de grupos sociais e até de organizações governamentais que se empenham fortemente na defesa de conceitos que ferem diretamente a lei natural, como é o caso do conceito da ideologia de gênero que afirma que ninguém nasce com um sexo definido. Dizem que ao nascer, a criança não deve ser considerada do sexo masculino ou do sexo feminino; depois ela fará esta escolha, afirmam. Inclusive, já existem escolas para crianças na Suécia e na Holanda, onde não se pode chamar o aluno de menino ou menina, chama-os apenas de crianças, porque eles devem decidir quando crescerem se serão homens ou mulheres, o que é antinatural. Aqui no Brasil também estamos vendo uma grande mobilização destes grupos para implantar este mesmo conceito na sociedade brasileira inserindo-o nas escolas, através dos planos estaduais e municipais de ensino.

Testemunhamos momentos dramáticos neste tempo da história da humanidade em que vemos crescer desenfreadamente a violência, a usurpação dos direitos humanos, a cultura da morte, da banalização do sexo, o esfacelamento da família como instituição Divina e como célula primeira e principal da sociedade que, em muitos casos, ou os valores morais, éticos e religiosos se desfiguraram ou, até mesmo, se perderam por completo.

A família é e deve ser a casa da Vida, o Santuário da Vida. Temos, portanto, um grandioso desafio, como nos exortava o papa Bento XVI quando nos incentivava a combater todas as ameaças à vida.

Tudo isso é verdadeiramente um combate, uma luta espiritual muito grande e que somente poderão ser vencidos com muito esforço, muito trabalho de nossa parte e, acima de tudo, pela fé e pelo poder da intercessão realizada por intercessores conduzidos pelo Espírito Santo e pelo auxílio poderoso da intercessão da Virgem Maria.

Por isso, Deus procura Intercessores! É certamente neste sentido que podemos entender a palavra do profeta Ezequiel quando diz: “Tenho procurado entre eles alguém que construísse o muro e se detivesse sobre a brecha diante de mim, em favor da terra, a fim de prevenir a sua destruição, mas não encontrei ninguém”(Ez 22,30).

São Paulo afirma que “O Espírito vem em auxílio à nossa fraqueza; porque não sabemos o que devemos pedir, nem orar como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inefáveis”. Hoje cremos em Jesus Ressuscitado, o nosso Intercessor que sentado à direita do Pai nos deu seu Espírito Santo, como havia prometido.

Diante de tão grandes desafios é urgente uma intercessão no poder do Espírito Santo, pois fomos chamados para ficar na brecha, e entre todas estas situações de dor, de angústia, desespero e depressão devemos deixar o Espírito agir em nós e através de nós. O intercessor que se deixa conduzir pelo Espírito Santo tem uma meta que não pode ser esquecida: trazer a graça até aqueles que estão necessitados.

É o Espírito Santo quem vem em nosso socorro, para isso é necessário assumir a certeza de que o Senhor permanece em nós, se nós permanecermos n’Ele (cf Jo 15,4). Mergulhados no Espírito Santo e vivenciando a presença de Deus, a nossa intercessão será semelhante à intercessão de Jesus Cristo; pois esta força do alto nos foi prometida pelo Pai e pelo Filho. O Intercessor deve assumir a realidade de ser filho de Deus e por isso, deve crer e agir como tal: pedir até receber a graça, buscar até encontrar a vitória e bater até que a porta se abra.

Deus, hoje, continua procurando Intercessores fiéis; o mundo hoje, também precisa da nossa oração. Deus pode contar com você?

 

Núcleo Nacional do Ministério de Intercessão

 

 

Fonte: rccbrasil.org.br

 

Adicionar comentário

Os comentários que contenham links ou propagandas serão automaticamente recusados.
A publicação dos comentários dependerá da aprovação da equipe de Comunicação Kénosis.
Obrigado por interagir conosco. Deus abençoe!


Código de segurança
Atualizar