"Esvaziou-se a si mesmo..." (Flp 2,7)

Thursday, 12 December 2019

  • Slide image one
  • Slide image two
  • Slide image three
Santa Teresa D’Ávila – União Perfeita com Deus PDF Imprimir E-mail

UniaoDeusEm sua carta apostólica Novo Millennio Ineunte (NMI), o Santo Padre, Beato João Paulo II reflete sobre alguns desafios que seriam interpelados pelos cristãos no início desse novo milênio. Citando problemas como a alteração do contexto social e aridez religiosa tendo por raiz o consumismo e o secularismo, toca também num ponto que será minha linha de partida para uma série de reflexões sobre a vida e a espiritualidade de Santa Teresa D'Ávila.

No número 33 da NMI sua santidade questiona: “Não será porventura um sinal dos tempos que se verifique hoje, não obstante os vastos processos de secularização, uma generalizada exigência de espiritualidade, que em grande parte se exprime precisamente numa renovada carência de oração?”. O homem moderno busca de forma desesperada uma resposta para seu vazio, para seus questionamentos, para sua necessidade de algo maior que seus anseios meramente terrenos e temporais. Sem uma resposta adequada, acaba se embrenhando por caminhos escuros que o escraviza cada vez mais em sua busca sombria e individualista. Nesse desafio, Sta. Teresa nos ensinará que a mística é algo real e deste mundo, passo necessário para uma perfeita união com Deus, único Senhor que pode responder aos mais íntimos anseios do homem.

Antes que muitos digam que santa Tereza se tornou mística por ser uma freira de clausura, cito aqui uma entrevista com o também padre carmelita Maximiliano Herraiz, um especialista na espiritualidade teresiana, a Zenit em 29/10/2004, onde ele esclarece que a mística enfatiza o amor como dimensão fundamental da vida, é uma relação com a pessoa divina que transfigura e dá profundidade e densidade às relações humanas. Uma relação íntima com Deus, que dê sentido a minha vida e que colabore para que outros também se sintam atraídos por esse Amor, mesmo em situações que pareçam contraditórias.


Para se ter uma idéia, o século vivido por santa Teresa foi caracterizado pelo Renascimento (movimento de renovação literária, artística e científica ), onde a cultura da Europa Ocidental radicou o secularismo, o humanismo e o individualismo. Período também que marcou o enfraquecimento da autoridade e influência papal e transição do feudalismo para um regime capitalista com o surgimento dos primeiros monopólios.

Sofreu com a Reforma Protestante que se deu no início do século XVI e presenciou também a Contra-Reforma motivada pelo Concílio de Trento. Ainda presenciou o rei Henrique VIII romper com a Igreja Católica e se auto-proclamar como líder da Igreja na Inglaterra; seu país, a Espanha, foi o primeiro país soberano a declarar falência em 1557.

Em seu período de vida, 67 anos ( 1515 – 1582) , 10 papas passaram pelo Vaticano: Leão X, Adriano VI, Clemente VII, Paulo III ( pontificado mais longo nesse período: durou 15 anos e 28 dias ), Júlio III, Marcelo II que ficou apenas 21 dias como Papa, Paulo IV, Pio IV, São Pio V, Gregório XIII e Sisto V. 

Essa pequena introdução servirá para esclarecer que os desafios vividos por santa Teresa em sua época foram tão desafiadores quanto os que estamos vivendo nos dias atuais. Com todo o clima desfavorável Teresa tornou-se alto expoente de santidade no seu tempo, reformou uma das principais e mais antiga ordem religiosa presente no seio da Igreja e estendeu sua influência também para o ramo masculino da ordem.

Primeira mulher proclamada doutora da Igreja em 1970 pelo papa Paulo VI que oficializou a forte influência que seus escritos e espiritualidade exerciam sobre a Igreja e estende-se ainda hoje não apenas para os católicos, mas também sobre ateus, pensadores e estudiosos do comportamento do humano. 

Seus ensinamentos, vida e espiritualidade alinham-se com os clamores atuais e motiva-nos a uma maior audácia na ação evangelizadora, tendo por alimento e meta a santidade de vida. Sua forte experiência de amizade com Deus, que permeou as relações humanas e a capacitou para amar com coragem e audácia, deve nos impulsionar também a uma busca constante da face de Deus. 

Teresa foi santa por ter vivido autenticamente sua vocação, respondendo corajosamente aos desafios de sua época. O novo milênio que desponta ante nossos olhos clama por homens e mulheres apaixonados por Deus e que sejam capazes de dar as respostas que a sociedade tanto exige e necessita na busca de seus anseios.

Abandonado na vontade de Deus, desejo iniciar um mergulho na vida e espiritualidade dessa santa, tendo por base seus três principais escritos: Vida, Caminho de Perfeição e Moradas (Castelo Interior), desejando para honra e glória de Deus, que muitos irmãos possam também fazer uma experiência de união perfeita com Deus.

Que Deus nos ajude e Maria Santíssima interceda por nós.

Santa Teresa, rogai por nós!

 

celio

 

 

 Célio Mendes

Formador Geral da comunidade Kénosis

 

 

Adicionar comentário

Os comentários que contenham links ou propagandas serão automaticamente recusados.
A publicação dos comentários dependerá da aprovação da equipe de Comunicação Kénosis.
Obrigado por interagir conosco. Deus abençoe!


Código de segurança
Atualizar