"Esvaziou-se a si mesmo..." (Flp 2,7)

Tuesday, 16 October 2018

  • Slide image one
  • Slide image two
  • Slide image three
Espiritualidade
A "determinada determinação" de Sta. Teresa PDF Imprimir E-mail

Há que determinar-se a ser “servos do amor”. Deus “é amigo de almas animosas”, porque não há oração autêntica sem vida cristã, isto é, sem as virtudes do amor, do desapego e da humildade. 

O que é a determinada determinação? 

É algo tão simples como o sim-sim do Evangelho. Não há caminho que dure na oração sem esta determinada determinação. Se o orante não está realmente determinado a ser servo do amor, isto é, com vontade decidida, não fará caminho que perdure no tempo. 

No entanto, mesmo quando há esta determinação da vontade, vemos que esta tem quebras e fracassos. Porquê? E isto pergunta-o S. Teresa ao Senhor: “Oh! Senhor da minha alma e Bem meu! Por que não quisestes que, em se determinando uma alma a amar-Vos fazendo quanto pode no deixar tudo para melhor se empregar neste amor de Deus, ela logo gozasse ao subir à posse deste amor perfeito?” (V 11, 1). 

Ela não espera que Deus responda. Ela própria cai na conta de que há em nós determinação sinceras da vontade que não conseguem penetrar as capas profundas da pessoa. A pessoa tem estratos de espessura inesperada, não fáceis de perfurar por um acto de vontade. A vontade serve-nos muitas vezes “determinaçõezinhas”, em vez de firmes tomadas de posição. No fundo o problema está em que não nos damos a Deus com a determinação com que Ele Se dá a nós. 

 
Santa Teresa de Jesus e a Eucaristia PDF Imprimir E-mail
eucaristia
 
INTRODUÇÃO
 
 
Em primeiro lugar, santa Teresa de Jesus não usa nunca o termo Eucaristia. Fala sempre do Santíssimo Sacramento. Há 60 referências em todos seus escritos. Com este termo significa-se:
 
1. A presença real de Jesus no Sacrário.
2. A presença especial de sua Humanidade. É a presença de Cristo, morto, ressuscitado e glorioso.
3. Esta presença é significativa de duas coisas:
 
A. Humildade desse Deus, Majestade infinita. Tudo isso como sinal, claro e evidente, do amor de Deus por sua criatura, débil e tão longe de saber retornar de sua parte esse amor que Deus merece, e tão soberba em tantas ocasiões.
B. Jesus companheiro em todas e cada uma das circunstâncias de nossa vida. Usa, também, o verbo comungar nos diversos tempos do mesmo, umas 103 vezes, e o substantivo Comunhão 8 vezes, e no plural (“Comunhões”) outras 5 vezes.
 
                                                         
 
 
Santa Teresa: monja de clausura pelos caminhos de Espanha PDF Imprimir E-mail

TeresaDAvila02O que entendemos quando falamos de monjas de clausura? 

O V Centenário do nascimento de Santa Teresa d Ávila, fundadora das carmelitas descalças e dos carmelitas descalços, coloca em discussão tanto nossa maneira de pensar como de viver. Hoje gostaria de evidenciar um aspecto   do momento atual, onde a Igreja, mãe e mestra,  se encontra  com uma certa dificuldade e que Teresa pode oferecer uma luz e um caminho novo e corajoso: a clausura.  O que nós entendemos quando falamos de monjas de clausura ou de Carmelitas Descalças,  fundadas por Santa Teresa d’Ávila, naquela manhã  quente e esplendida do 14 de agosto de 1562? A fundação de São José foi preparada no silêncio, às escondidas. O povo de Ávila acordou com as badaladas do sino  do pequenino mosteiro e ficou assustado, preocupado por ter que manter economicamente um outro  mosteiro e outras monjas.  Tentou-se todo o possível para fechar o mosteiro, mas não teve jeito. O bispo Dom Álvaro estava de acordo e especialmente Teresa era uma “cabeça dura”, que não desanimava diante de coisas deste tipo.  

 
Combate espiritual existe? PDF Imprimir E-mail

combate espiritualEm nossa caminhada como cristãos ou não cristãos, não há dúvida de que passamos por diversos combates
Nossa vida é uma só e precisamos vivê-la bem. Aquele que é cristão talvez tenha um pouco mais de vantagem por causa de Cristo Jesus, pois a vida do Senhor é um modelo para vivermos bem esta única vida que temos.

Quando olhamos para a história de Jesus, verificamos que Ele passou por duras provas. Primeiramente, até mesmo antes de nascer, Seus pais estavam com dificuldade de encontrar abrigo para Ele. Jesus nasceu numa gruta, numa manjedoura. Depois, Nosso Senhor cresceu. A Bíblia não relata sua adolescência nem juventude, mas mostra sua vida adulta.

Na vida adulta do Senhor, verificamos, no Evangelho de Lucas, capítulo quatro, que Jesus foi tentado no deserto, tentado no prazer, tentado a transformar pedra em pão. Jesus foi tentado a possuir reinos e poderes. Podemos perceber que o Filho de Deus passou por uma batalha espiritual no deserto.

 
O que diz hoje Teresa de Ávila a Igreja? PDF Imprimir E-mail

TeresaDAvila

Teresa possui um humor que te faz sorrir e ao mesmo tempo diz verdades

As palavras  são válidas  se como diz Jesus, “passará o mundo mas as minhas palavras não passarão,  por que? São fundamentadas não sobre coisas passageiras, efêmeras mas sim sobre algo de sólido, de válido, de eterno. Assim são os livros: daqui a 100 anos pouquíssimos livros que foram escritos na ânsia de dar respostas imediatas a problemas imediatos e com uma linguagem imediatista, restarão.  Serão todos escondidos em bibliotecas e não consultados por ninguém. Ou serão colocados na balança de papel velho e valerão pelo seu peso....dois centavos.  Há livros em todas as religiões que são ouro puro e quanto mais o tempo passa, mais ficam melhores. São água viva que nasce e mata a sede.  Há livros sagrados que sabem dar uma resposta aos problemas mais íntimos e angustiantes do ser humano. Insuperáveis. Não me refiro somente a Bíblia sagrada que para mim é o livro dos livros, é uma luz que brilha e não se consegue apagar; são palavras de ouro que como chuva mansa caíram do céu e continuam a fecundar os áridos desertos.  Como não pensar nos escritos das antigas religiões gregas ou da India, da China ou do Japão, dos astecas, de todos os povos... Mas ao lado deles existe também os escritos que são chamados “as maravilhas da espiritualidade”, e entre essas sete maravilhas da espiritualidade estão os escritos de Teresa de Ávila, esta mulher lutadora, de fino espirito critico. Não devemos duvidar e nem esquecer que todos os místicos são terrivelmente críticos. Ninguém é mais místico do que Jesus e ninguém mais critico do que ele.  Mas a critica dos místicos, dos santos, fere para curar; desconcerta e desorienta para orientar a vida.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 Próximo > Fim >>

Página 1 de 6