"Esvaziou-se a si mesmo..." (Flp 2,7)

Monday, 20 August 2018

  • Slide image one
  • Slide image two
  • Slide image three
Carisma
Renunciar a tudo e a si mesmo – regra Kénosis IV PDF Imprimir E-mail

Renuncia“Se alguém quer vir após mim, renegue-se a si mesmo, tome cada dia a sua cruz e siga-me. Porque, quem quiser salvar a sua vida, irá perdê-la; mas quem sacrificar a sua vida por amor de mim, irá salvá-la.” (Lc 9, 23-24)

A renúncia de si mesmo é a primeira atitude de quem deseja seguir Jesus Cristo. O caminho kenótico exige o desprendimento e desapego de todas as coisas. “Se vos possuo, nada mais me atrai na terra.” (Sl 72,25b), diz o salmista. Sobretudo, renegar-se a si mesmo é uma atitude que nos eleva à condição de discípulos. Essa atitude, no entanto, somente é possível se movida pela ação do Espírito Santo, o único que pode nos dar condições e coragem de tudo renunciar a fim de adquirir o “tesouro encontrado” (cf. Mt 13, 44-45), Jesus Cristo, Pérola Preciosa e única.

A renúncia de tudo e de si mesmo tem por finalidade abraçar a cruz de Cristo. Ninguém poderá abraçar a cruz de Cristo se continua com as mãos ocupadas e cheias de si mesmo e dos bens deste mundo. Dia-a-dia, devemos acolher ao dom da cruz e seguir nosso Mestre e Senhor, amando a graça recebida de poder participar de seu sofrimento.

Devemos invocar a presença do Espírito Santo constantemente para conseguirmos viver essa regra.

 

Fonte: Orientações Gerais comunidade Kénosis - 2013

 
Aceita tudo o que te acontecer, sem murmurar, com alegria. – regra Kénosis III PDF Imprimir E-mail

ALEGRIA“Aceita tudo o que te acontecer. Na dor, permanece firme; na humilhação, tem paciência. Pois é pelo fogo que se experimentam o ouro e a prata, e os homens agradáveis a Deus, pelo cadinho da humilhação. Põe tua confiança em Deus e ele te salvará; orienta bem o teu caminho e espera nele.” (Eclo 2,4-6a)

Deus é onisciente. Toda a nossa vida está em suas mãos e Ele cuida de todos os detalhes. Se nos confiarmos à sua santa vontade e nos submetermos inteiramente aos seus planos, Ele nos levará pelo caminho de perfeição à vida bem-aventurada. Todos os acontecimentos, bons ou ruins, podem nos levar a Deus. Ele não é o autor dos momentos maus que vivemos, mas sabe muito bem aproveitar todas as coisas para nossa santificação.

Cremos que nada escapa ao olhar amoroso do Senhor e que todos os acontecimentos podem, no final, servir para glorificação de Deus. Se o mal que hora sofremos é consequência de algum pecado que cometemos, é justo que soframos pelo mal cometido. Se, ao contrario, o mal que sofremos é injusto, que grande honra participarmos da paixão de Jesus Cristo, nosso Senhor e Mestre. Esperamos nele com paciência! “Eles saíram da sala do Grande Conselho, cheios de alegria, por terem sido achados dignos de sofrer afronta pelo nome de Jesus.” (At 5,41)

A aceitação Kenótica não é passiva ou um mero quietismo. Significa acolher a vontade de Deus em cada tempo, buscando ativamente, em oração e ação, apressar a vitória de Bem sobre o mal, da redenção sobre o pecado, da vida sobre a morte. Devemos invocar constantemente a presença do Espírito Santo para conseguirmos viver essa regra.

 

Fonte: Orientações Gerais comunidade Kénosis - 2013

 
Buscar somente as coisas em que a glória de Deus esteja interessada - regra Kénosis II PDF Imprimir E-mail

glorias a deus“Nele é que fomos escolhidos, predestinados segundo o desígnio daquele que tudo realiza por um ato deliberado de sua vontade, para servimos à celebração de sua glória, nós que desde o começo voltamos nossas esperanças para Cristo.” (Ef1. 12).

Fomos criados para celebrarmos a glória de Deus e tudo o que temos a fazer nesta vida é correspondermos a essa vocação. Em tudo o que fizermos, sempre que precisarmos “ser tudo para todos”, devemos procurar a glorificação de Deus naquela ação. Em tudo o que empreendermos devemos nos perguntar se Deus seria glorificado com aquilo.

Todo movimento, interior ou exterior, deve ser orientado à glorificação do nome de Jesus. Assim, nenhuma tarefa será pesarosa, nenhum serviço será humilhante, nenhuma busca será vaidosa.

Quando tudo em nós estiver direcionado para a glorificação de nosso Senhor e já não mais desejarmos buscar outro bem nesta vida, então nossas ações poderão ser associadas aos méritos de Cristo e nos resultará em grande proveito espiritual.

Devemos invocar constantemente a presença do Espírito Santo para conseguirmos viver essa regra.

 

Fonte: Orientações Gerais 2013 - Comunidade Kénosis

 
A penitência e a mortificação como parte integrante do carisma Kénosis PDF Imprimir E-mail

“Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me” (Mt 16, 24).

uma-cruzDepende de nós, da nossa livre iniciativa. O convite do seguimento é condicional e não imposição. No parágrafo 2015 do CIC, a Igreja nos ensina que “o caminho da perfeição passa pela cruz e não existe santidade sem renúncia e sem combate espiritual. O progresso espiritual envolve ascese e mortificação, que levam gradualmente a viver na paz e na alegria das bem-aventuranças”.

Sempre a cruz deve ser tomada livremente, em primeiro lugar, a que Deus nos envia sem nós a procurarmos e em seguida outras cruzes que depende totalmente da nossa decisão e da nossa generosidade, ou seja, dos sacrifícios voluntários.

Se quisermos, podemos sacrificar um fim de semana para dar assistência aos pobres, ir ao cinema para visitar um doente, assumir os trabalhos mais pesados, mas ninguém nos impõe e se não queremos nada disso fazemos.

Os sacrifícios voluntários, as mortificações e penitências visam manter o “homem velho” sob domínio e dar liberdade ao “homem novo”, pois ambos travam uma batalha sem fim dentro de nós. O homem velho modelado pelos parâmetros mundanos e pagãos e o homem novo modelado conforme a imagem de Cristo pela graça do Espírito Santo.

Essa batalha interior será vencida por aquele que melhor alimentado for pelas nossas ações cotidianas. O homem velho é mantido sob domínio quando decidimos “crucificar a carne com suas paixões e concupiscências” (Gl 5,24), ou seja, uma vida de penitência e mortificação, pois esta “carne” que aqui significa os maus desejos, o homem egoísta e afastado da graça de Deus, mergulhado num materialismo e “cujo deus é o ventre encontrando prazer no que é terreno” ( Fl 3,19), precisa ser controlado e colocado no seu devido lugar.

O homem velho, que jamais morre e se deixa dominar pelos desejos da “carne” (Gl 5,19-21) tem necessidade das penitências e mortificações para não se tornar senhor de nossas vidas.

 
Amar Jesus crucificado e crucificado amar Jesus - regra Kénosis I PDF Imprimir E-mail

Jesus Crucificado2Amar a Deus sobre todas as coisas é o primeiro mandamento da lei. Por isso, é a regra¹ fundamental do chamado Kénosis.  A prática do amor deve ser exercida no tempo presente, no hoje de nossa história. “Bem aventurado o que conhece o que é amar a Jesus e desprezar-se a si mesmo por amor de Jesus! Nosso amor para com Ele deve nos afastar de qualquer outro amor, porque Jesus quer ser amado sobre todas as coisas” (Imitação de Cristo, Lv. II, Cap. VII, 1)

Num tempo em que o cristianismo é apresentado como sinônimo de prosperidade material e a mensagem do Evangelho é desfigurada, não é difícil encontrar pessoas que dizem amar Jesus. Então perguntamos, é possível ainda encontrar pessoas que queiram Amar Jesus Crucificado, como fizeram os santos ao longo da história? “Jesus Cristo tem agora muitos amam seu reino celestial, mas poucos que levam a sua cruz. Muitos seguem a Jesus até o partir do pão, poucos, porém, até o beber do cálice da sua paixão.” (Imitação de Cristo, Lv. II, Cap. XI, 1)

 
<< Início < Anterior 1 2 3 Próximo > Fim >>

Página 3 de 3