"Esvaziou-se a si mesmo..." (Flp 2,7)

Monday, 19 November 2018

  • Slide image one
  • Slide image two
  • Slide image three
Formação Humana
A importância do perdão na cura interior PDF Imprimir E-mail

PerdaoPerdoar a mim mesmo significa me amar
O perdão ou a falta de perdão está na base de cada cura interior.

Muitas vezes, a cura de uma raiva, de um medo, de uma ansiedade, de um sentimento de solidão, tristeza ou culpa, além de tudo o que constitui o nosso desequilíbrio emocional e psíquico, depende de perdão.

a) Perdoar a mim mesmo. É a coisa mais difícil! É mais fácil perdoar os outros. Perdoar a nós mesmos pelas nossas faltas, pelos nossos limites, pelos pecados que cometemos e por tantas outras coisas. Temos de aceitar nossos limites e fraquezas, nos aceitarmos como somos, mesmo que não nos aprovemos.

Quando digo aceitar, não quer dizer não fazer nada para melhorar, pois isso é uma estagnação que não podemos permitir. Mas temos que aceitar a realidade das coisas e tentar melhorar, como fez São Paulo: "Sou aquele que sou, vejo o bem, aprovo-o e me acho a fazer o mal" (cf. Romanos 7,15-23).

 
Que devo fazer para ganhar a vida eterna? PDF Imprimir E-mail

Emaus01Os discípulos de Emaús (Lc 24,13-35), mesmo afastados e na direção contrária, mantinham um sentimento de pertença ao grupo – algumas mulheres dentre nós ( v22) e alguns dos nossos – (v24) – mas esse sentimento não foi forte o suficiente para mante-los em Jerusalém e acabam abandonando o grupo justamente no dia onde os principais acontecimentos ocorrem ( a ressurreição e o encontro com os apóstolos ).

 

O que levou esses dois discípulos a irem embora? O coração desanimado e características de quem perdeu a esperança – nós esperávamos que fosse Ele (v21) -, a desilusão com o Mestre e talvez o sofrimento fazem com esses irmãos deixem o grupo, os sonhos e ideais e retornem para suas origens, para suas vidas antes de conhecerem a Jesus.

 

O seguimento de Jesus os levou a deixar muitas coisas: sua cidade natal, sua casa, quem sabe os seus entes, entretanto, a frustração os fazem querer voltar as coisas que haviam abandonado. Toda a esperança e a alegria do seguimento de Jesus parece ter ruído e viram que suas experiências não haviam deitado raízes profundas;

 

 
Santidade: você quer ser modelo? PDF Imprimir E-mail

Busca pela santidadePra começar esta reflexão, gostaria de lembrar que o primeiro milagre que acontece quando somos desafiados a falar sobre a santidade é o fato de um pecador, como eu, estar tentando converter outros pecadores. Também explico que não venho aqui fazer uma nova proposta de santidade. Não gostaria de trazer uma ideia de santidade que já estamos acostumados a ver, aquela ideia retratada pelos artistas, nos quadros, nas imagens etc. Nada de ideias de piedade e de tristeza, de pessoas cabisbaixas. Não venho ainda para questionar a roupa que você usa, o calçado, a cor do esmalte em suas unhas ou o corte dos seus cabelos! Acho que isso é muito pouco. A santidade que buscamos não é aquela que traz um rosto de sofrimento. Isso porque para ser santo não estamos condenados a permanecer na fila dos derrotados; pelo contrário, fomos eleitos para sermos vitoriosos!

No entanto, ao abordar essa temática, confesso que tenho medo que esse artigo encontre muitas pessoas resistentes, que não se interessam sobre esse tipo de reflexão. Pessoas que creem estar numa fé “madura”, num outro patamar, e que já não necessitam pensar a respeito. Consideram isso um retrocesso na caminhada, porque ouviram sobre esse assunto o suficiente. Vejamos o que diz a Palavra de Deus, então.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 Próximo > Fim >>

Página 4 de 4