"Esvaziou-se a si mesmo..." (Flp 2,7)

Tuesday, 16 October 2018

  • Slide image one
  • Slide image two
  • Slide image three
Reflexões
Cruz - Vitória ou derrota? PDF Imprimir E-mail
cruz vitoriaEm tempos de Madalenas, Santos Graals e Códigos mais ou menos secretos, poucos falam da cruz. Muitos falam de Jesus, mas poucos do Crucificado. A cruz, em todas as suas variantes, virou bijuteria, enfeite. Houve épocas, porém, que pintar ou esculpir um crucifixo ou a própria cena da hora da morte de Cristo na Cruz, com Maria e João ao seu lado, era verdadeira obra de arte, era Evangelho vivo, mensagem para todos os cristãos.
 
Nada de fugir das figuras; ao contrário, a cena do Calvário era justamente para ser contemplada, admirada, rezada. Quantos Santos e Santas “conversaram” com uma imagem de Cristo na Cruz; quiseram ser crucificados com Ele, suplicaram para experimentar um pouco do amor e dos sofrimentos de Jesus. Pediram para reconhecê-lo nos crucificados do seu tempo.
 
O mais famoso crucifixo “falante” talvez seja o de São Damião, que “falou” a São Francisco para reformar à Igreja. Pode até não ter falado bem aos ouvidos do santo, mas falou, com certeza, ao seu coração porque mudou, radicalmente, a sua vida.
 
DURANTE A NOITE... PDF Imprimir E-mail

NoiteNas ruas durante a noite, olhava para o céu e não havia estrelas me observando. Até as estrelas estavam longe de mim, nem o brilho delas me tocava.
Continuei caminhando procurando por alguém. O meu alguém.
Nas esquinas me encontrei com a saudade, ficamos conversando, e ela não me ajudou. Na verdade a saudade me machucou mais.

A saudade me fez chorar...
Quis esquecer aquele momento, mas continuava procurando por você. Eu continuei caminhando...
Eu olhava ao redor e vi que minha procura estava vazia de você.
Eu me cansei. Sentei na calçada. Olhei ao redor, e só via a noite sobre mim.
Olhei na esquina o poste com sua iluminação fraca, o vento frio e mais nada, e mais ninguém.

 
Um mundo a ser transformado PDF Imprimir E-mail

Transformacao MundoJesus anunciou a realidade do Reino de Deus, tão grande que foram necessárias comparações, as parábolas, para aproximar as pessoas de tal realidade e comprometê-las com seu crescimento. O Reino está presente no mundo e haverá de crescer cada dia mais, primeiro com a força da graça de Deus, mas também com nossa colaboração. A Igreja anuncia e faz presente este Reino de Deus, dando aos homens e mulheres que aderem ao Evangelho de Jesus a possibilidade de viver, desde já, as realidades da plenitude do tempo em que Deus será tudo em todos (Cf. 1 Cor 15,28). Até lá, “muita água deverá passar debaixo da ponte”, pelo que a tarefa assumida pelos cristãos se torna exigente e comprometedora.

Como estar presentes num mundo tão desafiador, com uma escandalosa inversão de valores, cujos efeitos de multiplicam e assustam tanto? Como mudar o rumo, quando vemos com clareza que se escorrega para crises cada vez mais profundas? Como se decidir de novo a sair do caos da violência e da desagregação social? Qual será a presença qualificada e efetiva dos cristãos no meio de tantos problemas? O Espírito Santo nos inspira e com docilidade desejamos seguir suas inspirações, sem omissões nem precipitações.

 
E agora, José? PDF Imprimir E-mail

ReveillonA expressão é de um conhecido poema de Carlos Drummond de Andrade, mas a mesma pergunta pode ser feita ao José de Nazaré ou a tantos "Josés", presentes dentro de nós e em torno a nós. Depois do Natal e das festas que correm, o que fazer da vida e como aproveitar as muitas lições do ano que termina? Se o cenário do Natal é carregado de ensinamentos, pedimos hoje licença às outras figuras nele presentes, para contemplar, de modo especial, o homem a quem foi confiada a guarda da Sagrada Família, inspirados por palavras de fogo e simplicidade pronunciadas pelo Papa Francisco, quando começou seu ministério de Sucessor de Pedro:

E agora? O que fazer do ano que está para começar? O primeiro passo é reconhecer que o tempo e as capacidades foram dadas de presente. Deus não precisa fazer previsões, mas oferece um momento depois do outro, com calma, até para permitir-nos curtir cada dia sua riqueza e possibilidades para a nossa felicidade. E sabemos que se o Senhor não construir a casa, em vão trabalham os que a edificam (Cf. Sl 126, 1). Para isso, o ano há de ser preenchido com escuta e fidelidade à Palavra de Deus e discernimento dos sinais que ele envia, sabedoria para colher as lições de cada acontecimento. Cada fato alegre ou triste é carregado de sentido e de apelos de Deus.

 
Uma carta pra Jesus PDF Imprimir E-mail

Carta Jesus

Por tanto tempo te procurava nos lugares que achei que estarias
percebi que minha vida estava sempre em busca de você
Achei que se eu encontrasse um lugar onde eu ficasse um pouco mais feliz já era o meu lugar
Me enganei. muitas vezes me enganei achando ter te encontrado
Houve um momento que foi único, explico mas não consigo dizer tudo o que aconteceu comigo
Lágrimas de alegria, lágrimas que nunca tinham caído antes por esse motivo!
Foi tudo diferente!

Jesus Cristo, eu sempre te desejei, mas não entendia essa busca.
Jesus eu sempre busquei teu amor, mas chamava de amores e momentos...
Eu não compreendia nada do que hoje eu sinto e provo do Senhor.
Sabe Jesus, sua forma de se aproximar de mim é única. Jamais vivi algo parecido.
Jesus eu caminhei a sua procura, mas não sabia que era o Senhor quem eu procurava.
Imaginei poder encontrar amores e alegrias onde só tem pedaços de paixões e sorrisos tímidos.
Hoje não! Hoje eu entendi, desde aquele dia que o Senhor me beijou e me disse que o amor que eu procurava era o Senhor mesmo!

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 Próximo > Fim >>

Página 4 de 5