"Esvaziou-se a si mesmo..." (Flp 2,7)

Monday, 20 August 2018

  • Slide image one
  • Slide image two
  • Slide image three
Santa Sé
No Corpus Christi: Papa Francisco recorda que as idolatrias do presente nos separam de Jesus na Eucaristia PDF Imprimir E-mail

Papa22VATICANO, 04 de junho - Na solenidade do Corpo e Sangue do Senhor Jesus, o Corpus Christi, o Papa Francisco afirmou que a Eucaristia é o sacramento da união de Cristo com a humanidade, mas que esta união pode ser quebrada quando cedemos às idolatrias dos nossos tempos. Na sua homilia o Papa indicouque “o aparecer, o consumir, o ‘eu’ no centro de tudo” são as idolatrias modernas e as passam também pelo “competir, a arrogância como atitude vencedora, nunca admitindo ter errado ou ter necessidade”.

“Nós nos separamos quando não somos dóceis à Palavra do Senhor, quando não vivemos a fraternidade entre nós, quando competimos para ocupar os primeiros lugares, quando não encontramos a coragem de testemunhar a caridade, quando não somos capazes de oferecer esperança”, destacou o Santo Padre diante das centenas de presentes na missa celebrada na Basílica de São Pedro na tarde de hoje em Roma.

“O Cristo presente em meio a nós, no sinal do pão e do vinho, exige que a força do amor supere toda laceração e, ao mesmo tempo, torne-se comunhão com o pobre, apoio para o fraco, atenção fraterna aos cansados em carregar o peso da vida cotidiana”, disse.

 
Homilia do Papa: “Não se pode seguir a Jesus e a mundanidade" PDF Imprimir E-mail

Papa21Em Santa Marta, Francisco recorda que seguir Jesus, do ponto de vista humano, não é um bom negócio: é servir

Vaticano, 26 de Maio de 2015 - Não se pode seguir a Jesus e a mundanidade, nem se pode ter o céu e a terra. O cristianismo à metade é feio, é preciso tomar uma decisão radical. Foi o que destacou Francisco na homilia nesta terça-feira (26), na capela da

Casa Santa Marta, inspirado na pergunta de Pedro a Jesus sobre o que os discípulos ganhariam seguindo-o: uma pergunta feita depois que o Senhor disse ao jovem rico que vendesse todos os seus bens e os desse aos pobres. 

O Santo Padre recordou que Jesus responde em uma direção diferente da que os discípulos esperavam: não fala de riquezas, mas promete a herança do Reino dos céus, com a "perseguição e a cruz".

 
Homilia do Papa: A corrupção e o apego tiram a alegria e a esperança PDF Imprimir E-mail

Papa20Em Santa Marta, Francisco atualiza a passagem do "jovem rico"

Vatican City, 25 de Maio de 2015 - Riqueza, corrupção e o bem comum foram os temas centrais da homilia do Papa Francisco na manhã desta segunda-feira, na capela da Casa Santa Marta. O ponto de partida foi a passagem do "jovem rico", presente no

Evangelho de hoje (Mc 10,17-25): uma história que demonstra como o "entusiasmo" por Cristo, pode se transformar num instante em "tristeza e fechamento em si mesmo".

O jovem rico é o emblema da "alegria" e da "esperança" que desaparecem, porque ele, àquela sua riqueza, não quer renunciar. "O apego às riquezas é o começo de todos os tipos de corrupção", afirmou o Papa.

 
O mundo precisa de homens e mulheres repletos do Espírito Santo PDF Imprimir E-mail

Papa19Perante milhares de fiéis reunidos na Basílica de São Pedro, o Papa Francisco presidiu à santa Missa neste Domingo de Pentecostes. Na sua homilia, recordando as palavras do Senhor no Evangelho de hoje «Assim como o Pai Me enviou, também Eu vos envio a vós (...) Recebei o Espírito Santo», o Papa falou da efusão do Espírito, que já teve lugar na tarde da Ressurreição, mas que se repete, e com sinais extraordinários, no dia de Pentecostes. Como resultado, disse Francisco, os apóstolos receberam uma força tal que os impeliu a anunciar, nas diferentes línguas, o evento da Ressurreição de Cristo:

Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar outras línguas». Juntamente com eles, estava Maria, a Mãe de Jesus, primeira discípula, Mãe da Igreja nascente. Com a sua paz, com o seu sorriso e com a sua maternalidade, acompanhava a alegria da jovem Esposa, a Igreja de Jesus”.

 
Papa Francisco: "Jesus nos ensinou o caminho do martírio de todos os dias" PDF Imprimir E-mail

Papa18Ainda hoje morrem cristãos em nome de Deus, mas o Espírito Santo dá força para testemunhar até o martírio, recordou o Santo Padre Francisco nesta segunda-feira, durante a homilia da Missa na capela da Casa Santa Marta.

Referindo-se ao Evangelho do dia, o Papa recordou que Jesus “fala do futuro, da cruz que nos espera e nos fala do Espírito, que nos prepara a dar o testemunho cristão". Por isso, disse o Papa, Jesus fala do "escândalo das perseguições", do "escândalo da Cruz."

O Pontífice explicou que "a vida da Igreja é um caminho guiado pelo Espírito”, que nos recorda as palavras de Jesus e nos ensina as coisas que Jesus não foi capaz de nos dizer: “é companheiro de caminhada” e nos defende também “do escândalo da Cruz". A Cruz é um escândalo para os judeus que pedem sinais, e uma loucura para os gregos, ou seja, os pagãos que pedem sabedoria, novas ideias. O Papa sublinhou que os cristãos, ao invés, pregam Cristo crucificado. Assim, Jesus prepara os discípulos para que não se escandalizem com a cruz de Cristo.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 Próximo > Fim >>

Página 1 de 7