"Esvaziou-se a si mesmo..." (Flp 2,7)

Wednesday, 24 October 2018

  • Slide image one
  • Slide image two
  • Slide image three
Santa Sé
Papa Francisco: "O Paraíso mais do que um lugar é um estado de alma" PDF Imprimir E-mail

Papa13Roma, 26 de Novembro de 2014 - As palavras do Papa pronunciadas na catequese, na Praça de São Pedro.

Queridos irmãos e irmãs, bom dia, um pouco 'feio' o dia, mas vocês são corajosos, parabéns! Esperamos rezar juntos hoje. Ao apresentar a Igreja aos homens do nosso tempo, o Concílio Vaticano II tinha bem presente uma verdade fundamental, que não se pode nunca esquecer: a Igreja não é uma realidade estática, parada, com fim em si mesma, mas está continuamente em caminho na história, rumo à meta última e maravilhosa que é o Reino dos céus, do qual a Igreja na terra é a semente e o início (cfr. Conc. Ecum. Vat. II, Cost. dog. sobre a Igreja Lumen gentium, 5).

Quando nos dirigimos para este horizonte, percebemos que a nossa imaginação bloqueia, revelando-se capaz apenas de intuir o esplendor do mistério que supera os nossos sentidos. E surgem espontaneamente em nós algumas perguntas: quando acontecerá esta passagem final? Como será a nova dimensão na qual a Igreja entrará? O que será, então, da humanidade? E da criação que nos circunda? Mas estas perguntas não são novas, os discípulos já as haviam feito a Jesus naquele tempo: “Mas quando isso acontecerá? Quando será o triunfo do Espírito sobre a criação, sobre o criado, sobre tudo...” São perguntas humanas, perguntas antigas. Também nós fazemos estas perguntas.

 
Papa Francisco a movimentos eclesiásticos: “Preservem o frescor do carisma” PDF Imprimir E-mail

Papa06Vaticano, 23 de novembro - O Papa Francisco recebeu os mais de 300 participantes do III Congresso mundial de Movimentos e Novas Comunidades, organizado pelo Pontifício Conselho para os Leigos e que congregou os fundadores e responsáveis pelas diversas comunidades e movimentos espalhados pelo mundo. Durante as palavras que o Santo Padre dirigiu na Sala Clementina do Palácio Apostólico Vaticano, pediu que os membros dos diversos movimentos presentes “preservem a frescura do carisma” renovando sempre “o primeiro amor”. O Papa fez alusão à necessidade da conversão e a missão”, que estão “intimamente ligadas” porque “sem uma autêntica conversão do coração e da mente não se anuncia o Evangelho”.

Como já havia feito em outras ocasiões, Francisco quis dar uma série de conselhos a estas realidades eclesiásticas que agora se projetam “na fase da maturidade eclesiástica, que requer uma vigilância de conversão permanente, com o fim de fazer sempre mais viva e fecunda o impulso da evangelização”. Estes conselhos giraram sobre a ação do Espírito Santo, o acompanhamento às pessoas e sobre tudo aos jovens e, por último, a comunhão com o resto da Igreja.

 
Papa Francisco: "...todos somos chamados a nos tornar santos!" PDF Imprimir E-mail

Papa05Roma, 19 de novembro de 2014 - Apresentamos as palavras do Papa pronunciadas na catequese desta quarta-feira, aos fiéis e peregrinos reunidos na Praça de São Pedro para a Audiência Geral. 

Queridos irmãos e irmãs, bom dia,

Um grande dom do Concílio Vaticano II foi aquele de ter recuperado uma visão de Igreja fundada na comunhão e de ter interpretado também o princípio da autoridade e da hierarquia em tal perspectiva. Isto nos ajudou a entender melhor que todos os cristãos, enquanto batizados, têm igual dignidade diante do Senhor e têm em comum a mesma vocação, que é aquela à santidade (cfr Cost. Lumen gentium, 39-42). Agora nos perguntamos: em que consiste essa vocação universal a ser santos? E como podemos realizá-la?

 
Papa Francisco: "A resposta confiante e pronta ao chamado do Senhor realiza coisas extraordinárias" PDF Imprimir E-mail

Papa01Cidade do Vaticano, 10 de Agosto de 2014 - As palavras do Papa Francisco durante o Angelus neste domingo, aos fiéis e peregrinos reunidos na Praça de São Pedro no Vaticano.

Queridos irmãos e irmãs, bom dia!

O Evangelho de hoje nos apresenta a história de Jesus caminhando sobre as águas do lago (cf. Mt 14,22-33). Depois da multiplicação dos pães e dos peixes, Ele convida os seus discípulos a entrar no barco e a ir na sua frente para o outro lado, enquanto ele se despede da multidão, e depois retira-se sozinho para rezar na montanha até tarde da noite. Enquanto isso, há uma forte tempestade no lago, e bem no meio da tempestade Jesus alcança o barco com os discípulos, caminhando sobre as águas. Quando eles o veem, assustados, pensam que é um fantasma, mas Ele os acalma: "Coragem, sou eu, não temais" (v. 27). Pedro, com seu zelo típico, pediu-lhe uma prova: "Senhor, se és tu, manda-me ir ter contigo sobre as águas"; e Jesus disse: "Vem!" (vv. 28-29). Pedro desce do barco e começa a andar sobre as águas; mas o vento bate forte e ele começa a afundar. Em seguida, grita: "Senhor, salva-me!" (v. 30), e Jesus estende a mão e o levanta.

 
Texto completo da pregação da sexta-feira santa do Pe. Raniero Cantalamessa, ofmcap. PDF Imprimir E-mail

Raniero Cantalamessa03Pregação na Basílica de São Pedro. O pregador da casa pontifícia reflete na traição de Judas.

Roma, 18 de Abril de 2014 Pe. Raniero Cantalamessa, OFM Cap 

"Estava com eles também Judas, o traidor”

Dentro da história divino-humana da paixão de Jesus existem muitas pequenas histórias de homens e de mulheres que entraram no raio da sua luz ou da sua sombra. A mais trágica delas é a de Judas Iscariotes. É um dos poucos fatos comprovados, com igual destaque, por todos os quatro Evangelhos e pelo resto do Novo Testamento. A primitiva comunidade cristã tem refletido muito sobre ele e nós faríamos mal se não fizéssemos o mesmo. Ela tem muito a nos dizer.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 Próximo > Fim >>

Página 3 de 7