"Esvaziou-se a si mesmo..." (Flp 2,7)

Wednesday, 12 December 2018

  • Slide image one
  • Slide image two
  • Slide image three
Santa Sé
Mensagem do Papa Francisco para a Quaresma 2015 PDF Imprimir E-mail

brasão do Papa Francisco

Boletim da Santa Sé

“Fortalecei os vossos corações” (Tg 5, 8)

Amados irmãos e irmãs,

 

Tempo de renovação para a Igreja, para as comunidades e para cada um dos fiéis, a Quaresma é sobretudo um «tempo favorável» de graça (cf. 2 Cor 6, 2). Deus nada nos pede, que antes não no-lo tenha dado: «Nós amamos, porque Ele nos amou primeiro» (1 Jo 4, 19). Ele não nos olha com indiferença; pelo contrário, tem a peito cada um de nós, conhece-nos pelo nome, cuida de nós e vai à nossa procura, quando O deixamos. Interessa-Se por cada um de nós; o seu amor impede-Lhe de ficar indiferente perante aquilo que nos acontece. Coisa diversa se passa connosco! Quando estamos bem e comodamente instalados, esquecemo-nos certamente dos outros (isto, Deus Pai nunca o faz!), não nos interessam os seus problemas, nem as tribulações e injustiças que sofrem; e, assim, o nosso coração cai na indiferença: encontrando-me relativamente bem e confortável, esqueço-me dos que não estão bem! Hoje, esta atitude egoísta de indiferença atingiu uma dimensão mundial tal que podemos falar de uma globalização da indiferença. Trata-se de um mal-estar que temos obrigação, como cristãos, de enfrentar.

 
Papa Francisco: Um cristão “surdo” à voz do Espírito Santo não evangeliza PDF Imprimir E-mail

Papa14Roma, 11 de janeiro 2015 - O último Ângelus antes do início da viagem do Papa Francisco ao Sri Lanka e Filipinas teve como centro a festa do Batismo do Senhor que, como explicou o Santo Padre, encerra o tempo de Natal.

Por isso, destacou, “um cristão e uma comunidade ‘surdos’ à voz do Espírito Santo, que impulsiona a levar o Evangelho aos extremos confins da terra e da sociedade, torna-se um cristão e uma comunidade de “mudos” que não falam e não evangelizam”.

“Colocar sob a ação do Espírito Santo a nossa vida de cristãos e a missão, que todos recebemos em virtude do Batismo, significa encontrar a coragem apostólica necessária para superar fáceis acomodações mundanas”, disse.

Francisco pediu a todos que rezem frequentemente ao Espírito Santo “porque nos ajuda, nos dá força, inspiração e nos faz ir adiante”.

 
Papa Francisco: "Maria concebeu primeiro a fé e depois o Senhor" PDF Imprimir E-mail

Papa15Roma, 08 de Dezembro de 2014

Queridos irmãos e irmãs, bom dia! Boa Festa!

A mensagem da festa de hoje da Imaculada Conceição da Virgem Maria pode se resumir com estas palavras: tudo é dom gratuito de Deus, tudo é graça, tudo é dom do seu amor por nós. O Anjo Gabriel chama Maria “cheia de graça” (Lc 1, 28): nela não há espaço para o pecado, porque Deus a escolheu desde sempre mãe de Jesus e a preservou da culpa original. E Maria corresponde à graça e se abandona dizendo ao Anjo: “Faça-se em mim segundo a tua palavra” (v. 38). Não diz: “Eu farei segundo a tua palavra”: não! Mas: “Faça-se em mim…”. E o Verbo se fez carne em seu ventre. Também a nós é pedido escutar Deus que nos fala e acolher a sua vontade; segundo a lógica evangélica, nada é mais eficaz e fecundo que escutar e acolher a Palavra do Senhor, que vem do Evangelho, da Bíblia. O Senhor nos fala sempre!

 
Papa Francisco: Há muita santidade na Igreja, mas escondida PDF Imprimir E-mail

Papa16Roma, 04 de Dezembro de 2014 - Em Santa Marta, o Papa recorda todos os homens, mulheres, sacerdotes e doentes que diariamente colocam em prática a Palavra de Deus, porque construíram a casa sobre a rocha

A pergunta é a mesma: sua vida é construída sobre a areia ou sobre a rocha? A questão crucial, proposta pelo Evangelho de Mateus na liturgia de hoje, inspirou o Papa Francisco em sua reflexão na missa desta manhã em Santa Marta.

O Papa- todos sabem- gosta de falar através de fatos e, em sua homilia, não fica na "teoria" sobre a admoestação de Jesus, mas nos exemplos visíveis e óbvios de cristãos que levantaram os alicerces de sua própria existência na poeira e outros em bases sólidas.

Os primeiros são aqueles "cristãos de aparência" que o Pontífice, muitas vezes, chama a atenção: aqueles que, em palavras, se dizem verdadeiros seguidores de Cristo, mas não colocam em prática a Palavra de Deus e “caem na primeira tentação”. "Não é o suficiente pertencer a uma família muito católica ou a uma associação ou ser um benfeitor se, depois, não se segue a vontade de Deus", disse.

 
Papa Francisco: "No Advento peçamos um coração humilde para conhecer Jesus" PDF Imprimir E-mail

Papa17Roma, 02 dezembro de 2014 - Durante a missa matutina celebrada na Casa Santa Marta, o Papa Francisco convidou a praticar neste tempo de Advento uma “teologia de joelhos”, para com coração simples poder conhecer Jesus, que não veio como um general do exército ou um governante poderoso, mas “como um broto”, humilde e manso que “veio para os humildes, para os mansos, para trazer a salvação aos doentes, aos pobres, aos oprimidos”.

Os olhos de um pobre são os mais aptos a ver Cristo e, através Dele, distinguir o perfil de Deus. Os outros que pretendiam sondar este mistério com os recursos da própria inteligência devem, antes, colocar-se “em joelhos”, em atitude de humildade. Caso contrário, não poderão entender nada.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 Próximo > Fim >>

Página 2 de 7