"Esvaziou-se a si mesmo..." (Flp 2,7)

Wednesday, 24 October 2018

  • Slide image one
  • Slide image two
  • Slide image three
Que devo fazer para ganhar a vida eterna?

Emaus01Os discípulos de Emaús (Lc 24,13-35), mesmo afastados e na direção contrária, mantinham um sentimento de pertença ao grupo – algumas mulheres dentre nós ( v22) e alguns dos nossos – (v24) – mas esse sentimento não foi forte o suficiente para mante-los em Jerusalém e acabam abandonando o grupo justamente no dia onde os principais acontecimentos ocorrem ( a ressurreição e o encontro com os apóstolos ).

 

O que levou esses dois discípulos a irem embora? O coração desanimado e características de quem perdeu a esperança – nós esperávamos que fosse Ele (v21) -, a desilusão com o Mestre e talvez o sofrimento fazem com esses irmãos deixem o grupo, os sonhos e ideais e retornem para suas origens, para suas vidas antes de conhecerem a Jesus.

 

O seguimento de Jesus os levou a deixar muitas coisas: sua cidade natal, sua casa, quem sabe os seus entes, entretanto, a frustração os fazem querer voltar as coisas que haviam abandonado. Toda a esperança e a alegria do seguimento de Jesus parece ter ruído e viram que suas experiências não haviam deitado raízes profundas;

 

 
A Importância da Oração e Meditação

Rezando02Quem não reza, se condena!

Em primeiro lugar, Deus nos faz conhecer, por este meio, o grande amor que nos tem.Quer maior prova de amizade uma pessoa pode dar a seu amigo do que lhe dizer: pede-me o que quiseres e de mim receberás?

Ora, é justamente isso que o Senhor nos diz: “Pedi e vos será dado, buscai e achareis”.Por isso mesmo, a oração se torna poderosa junto de Deus para nos alcançar todos os bens.

A oração tudo pode, quem reza alcança a Deus o que quer. “Bendito seja Deus que não rejeitou minha oração, nem retirou de mim a sua misericórdia”.Diz Santo Agostinho: “Quando percebes que não te falta a oração, fica sossegado, pois a misericórdia de Deus não te faltará”.E São João Crisóstomo disse: “Sempre se alcança, até mesmo enquanto estamos rezando”.Quando pedimos ao Senhor, já antes de terminados de pedir, ele nos dá a graça que suplicamos.

Se portanto, somos pobres, queixemo-nos só de nós mesmos.Somos pobres porque assim o queremos e por isso não merecemos compaixão.Que compaixão pode merecer um mendigo, que tendo um patrão muito rico prefere ficar na sua miséria só para não pedir o que lhe é necessário?Deus está pronto a enriquecer todos os que lhe pedem: “É Rico para todos que o invocam”.

 
Sacramento da Penitência ou Reconciliação

Sacramento penitencia03Jesus começa o seu ministério público pelo mandamento: "Arrependei-vos, pois o Reino dos Céus está próximo" (Mt 4,17). Aos que se escandalizam por Ele andar com pecadores, responde: "Há mais alegria no céu por um só pecador que se arrepende, do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento." (Lc 15,7).

"O Senhor Jesus Cristo, médico de nossas almas e de nossos corpos, que remiu os pecados do paralítico e restituiu-lhe a saúde do corpo, quis que sua Igreja continuasse, na força do Espírito Santo, sua obra de cura e de salvação, também junto de seus próprios membros. É esta a finalidade dos dois sacramentos de cura: o sacramento da Penitência e o sacramento da Unção dos Enfermos." ( CIC, 1421)

"O sacramento da penitência pode ter outros nomes também, dentre eles: conversão, confissão, perdão e reconciliação. Pode ser denominado Sacramento da Confissão porque a declaração, a confissão dos pecados diante do sacerdote e um elemento essencial desse sacramento. Num sentido profundo esse sacramento é uma confissão, reconhecimento e louvor da santidade de Deus e de sua misericórdia para com o homem pecador." (CIC, 1424)

É natural que em nossa busca pela vivência da santidade venhamos nos deparar muitas vezes com nossas fraquezas e pecados. Devemos lutar contra o pecado, sabendo que “o pecado é, antes de mais, ofensa a Deus, ruptura da comunhão com Ele. Ao mesmo tempo, é um atentado contra a comunhão com a Igreja”.  (CIC, 1440)

 
Você sabe o que é pecado venial? E pecado mortal?

Pecado2Sabemos que ferimos o Coração de Deus com nossos pecados, rompemos a aliança com o Senhor. Mas o que é pecado?

Segundo o Catecismo da Igreja Católica: “O pecado é uma falta contra a razão, a verdade, a reta consciência. É uma falha contra o verdadeiro amor para com Deus e para com o próximo, por causa dum apego perverso a certos bens. Fere a natureza do homem e atenta contra a solidariedade humana. Foi definido como “uma palavra, um ato ou um desejo contrários à Lei eterna” (CIC,1849)

Além do pecado original cometido por Adão e Eva, em cuja sombra nascemos, temos que enfrentar outro tipo de pecado: o que nós mesmos cometemos no dia a dia, que se chama atual. O pecado atual pode ser venial ou mortal.

Mesmo em matéria grave, o meu pecado pode ser venial se tiver havido ignorância ou falta de consentimento pleno. Deus perdoa prontamente os pecados veniais, mesmo que não se recorra ao sacramento da Reconciliação; um ato de contrição e o propósito de emenda bastam para o seu perdão. Cada pecado venial acarreta um castigo aqui ou no purgatório, diminuindo um pouco o amor a Deus em nosso coração e debilitando a nossa resistência às tentações. A soma de pecados veniais acaba por resultando num pecado mortal, porque o número não modifica a espécie do pecado, embora o acúmulo de muitos pecados veniais possa chegar a ser mortal, se vamos dizendo “sim” à tentação grande, quando esta se apresentar. Quem ama sinceramente a Deus tem o propósito habitual de evitar todo o pecado deliberadado, seja venial ou mortal.

 
Adoração Eucarística

JesusEucaristicoNa expressão “Adoração Eucarística”, a palavra “Adoração” é usada, de forma ampla, para significar qualquer espécie de oração, qualquer espécie de união com Deus. “Eucarística” significa rezando diretamente para Jesus presente na Eucaristia ou de forma centrada n’Ele. Adoração Eucarística, então, é qualquer oração endereçada a ou centrada em Jesus Cristo, presente na Eucaristia.

Quanto mais expostos a Jesus Sacramentado, mais teremos oportunidade de crescer espiritualmente e ter em nossas vidas o mesmo sentimento de Cristo, ou seja, “tendo um mesmo amor, uma só alma e os mesmos pensamentos, nada fazendo por espírito de partido ou vanglória”. (cf. Flp 2,3-4).

Na adoração eucarística o homem reconhece a beleza do Senhor e tende a glorificá-lo, colocando-se de joelhos e em atitude de plena comunhão. Ali no altar reside Deus, o Santo dos Santos, que se fez carne para nutrir a alma e o coração da humanidade durante a sua peregrinação nesta terra, assim como o maná do céu nutriu o povo que caminhava no deserto. E é por isso que o Beato João Paulo II fez questão de enfatizar na sua Encíclica Ecclesia de Eucharistia que "a Igreja vive da Eucaristia". Sem uma, a outra não pode existir.

 
<< Início < Anterior 21 22 23 24 25 26 27 Próximo > Fim >>

Página 22 de 27