CARISMA E MISSÃO

CARISMA

  Kénosis (κένωσις) é a ação de auto-esvaziamento. Refere-se à atitude de Jesus que sendo de condição divina não se prevalece dessa prerrogativa, mas, antes, esvazia-se a si mesmo, assume a condição de servo e humilha-se até a morte de cruz (cf. Fl 2,7).O carisma kénosis nasce deste amor de Deus aos homens e se expressa na humildade do Cristo obediente, crucificado e exaltado.

Fundamentada no amor, na obediência e na humildade de nosso Mestre e Senhor, a Comunidade Kénosis é chamada a percorrer a mesma via kenótica de Jesus, procurando esvaziar-se de tudo aquilo que a glória de Deus não esteja interessada. Sobretudo, o carisma kénosis exige dos membros uma vida de intimidade com Deus (ora), a humildade para deixar-se transformar pela misericórdia divina em virtude do novo ser em Cristo (esse), e um agir movido pela ação do Espírito Santo (actum).

MISSÃO

A missão da Igreja é evangelizar. “Conhecer a Jesus é o melhor presente que qualquer pessoa pode receber; tê-lo encontrado foi o melhor que ocorreu em nossas vidas, e fazê-lo conhecido com nossa palavra e obras é nossa alegria.” (Documento de Aparecida, 29).

A Comunidade Kénosis assume a “missão seguindo os passos de Jesus e adotando suas atitudes (cf. Mt 9,35-36). Ele, sendo o Senhor, se fez servidor e obediente até a morte de cruz (cf. Fl 2,8); sendo rico, escolheu ser pobre por nós (cf. 2Cor 8,9) a fim de nos ensinar o caminho de nossa vocação de discípulos e missionários. No Evangelho aprendemos a sublime lição de ser pobres seguindo a Jesus pobre (cf. Lc 6,20; 9,58), e a de anunciar o Evangelho da paz sem bolsa ou alforje, sem colocar nossa confiança no dinheiro nem no poder deste mundo (cf. Lc 10,4ss). Na generosidade dos missionários se manifesta a generosidade de Deus, na gratidão dos apóstolos aparece a gratuidade do Evangelho.” (Documento de Aparecida, 31).

É da vivência do Carisma que nasce a Missão da Comunidade Kénosis: “viver como convém a santos” (Ef 5,3), esvaziar-se de tudo e de si mesmo (cf. Fl 2,7), “ser tudo para todos” (cf. 1Cor 9,22) e fazer tudo para a glória de Deus (1Cor 10,31).

  Viver como convém a santos, porque somos todos chamados à santidade, em virtude do batismo recebido; e porque “a santidade é a força mais poderosa para levar a Cristo o coração dos homens” (S. João Paulo II). Esvaziar-se de tudo e de si mesmo, porque a conformidade com a vontade divina depende de que nosso esvaziamento seja “total, sem condições, constante e irrevogável” (Sto. Afonso de Ligório). Ser tudo para todos, porque a missão evangelizadora exige que os missionários ofereçam a própria vida pela salvação das almas, e não apenas seus talentos humanos ou carismas especiais. A vida kenótica deve ser assumida com perfeição na Igreja, na família e na sociedade. De um Missionário Kénosis espera-se a doação total da própria vida. Fazer tudo para a glória de Deus, pois, afinal, não servimos aos homens, mas Àquele que nos chamou a tão sublime vocação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *