"Esvaziou-se a si mesmo..." (Flp 2,7)

Wednesday, 12 December 2018

  • Slide image one
  • Slide image two
  • Slide image three
Papa Francisco: "Jesus nos ensinou o caminho do martírio de todos os dias" PDF Imprimir E-mail

Papa18Ainda hoje morrem cristãos em nome de Deus, mas o Espírito Santo dá força para testemunhar até o martírio, recordou o Santo Padre Francisco nesta segunda-feira, durante a homilia da Missa na capela da Casa Santa Marta.

Referindo-se ao Evangelho do dia, o Papa recordou que Jesus “fala do futuro, da cruz que nos espera e nos fala do Espírito, que nos prepara a dar o testemunho cristão". Por isso, disse o Papa, Jesus fala do "escândalo das perseguições", do "escândalo da Cruz."

O Pontífice explicou que "a vida da Igreja é um caminho guiado pelo Espírito”, que nos recorda as palavras de Jesus e nos ensina as coisas que Jesus não foi capaz de nos dizer: “é companheiro de caminhada” e nos defende também “do escândalo da Cruz". A Cruz é um escândalo para os judeus que pedem sinais, e uma loucura para os gregos, ou seja, os pagãos que pedem sabedoria, novas ideias. O Papa sublinhou que os cristãos, ao invés, pregam Cristo crucificado. Assim, Jesus prepara os discípulos para que não se escandalizem com a cruz de Cristo.

“Hoje somos testemunhas dessas pessoas que matam os cristãos em nome de Deus, porque são infiéis, segundo eles. Esta é Cruz de Cristo: ‘E isso farão porque não reconheceram o Pai nem a mim’. ‘O que aconteceu a mim – afirma Jesus – acontecerá também a vós – as perseguições, as tribulações – mas, por favor, não vos escandalizeis: será o Espírito a guiar-nos e a fazer-nos entender’”.

Neste contexto, o Papa recordou o telefonema que recebeu do patriarca copta Tawadros, por ocasião do dia da amizade cópta católica. “Eu recordei os seus fiéis, que foram degolados na praia porque eram cristãos. Esses fiéis, pela força que lhes deu o Espírito Santo, não se escandalizaram. Morreram com o nome de Jesus nos lábios. É a força do Espírito. O testemunho. É verdade, a força do Espírito. O testemunho. É verdade, o martírio é justamente isso, o testemunho supremo”.

O Santo Padre também falou sobre o testemunho de todos os dias, de tornar presente a fecundidade da Páscoa que "nos dá o Espírito Santo, que nos guia rumo à verdade plena, à verdade inteira, e nos lembra o que Jesus nos diz: um cristão que não leva sério esta dimensão de martírio da vida ainda não entendeu o caminho que Jesus nos ensinou. Este é o caminho do martírio de todos os dias; de defender os direitos dos indivíduos; das crianças: pai e mãe que defendam a família; o caminho do martírio de tantos, tantos doentes que sofrem por amor a Jesus. Todos nós temos a possibilidade de levar adiante esta fecundidade pascal no caminho do martírio, sem nos escandalizar".

Por fim, o Papa convidou a pedir ao Senhor “a graça de receber o Espírito Santo, que nos fará recordar as coisas de Jesus, que nos guiará rumo a toda a verdade e nos preparará a cada dia para dar testemunho, para oferecer este pequeno martírio de todos os dias ou um grande martírio, segundo a vontade do Senhor".