"Esvaziou-se a si mesmo..." (Flp 2,7)

Thursday, 13 December 2018

  • Slide image one
  • Slide image two
  • Slide image three
Espiritualidade
Quaresma, tempo de santidade! - Orientação aos membros PDF Imprimir E-mail

A paz de Jesus!

“Convertei-vos e crede no Evangelho!” (Mc 1,5). Essa é uma das admoestações dirigida aos fieis enquanto o sacerdote ou ministro impõe as cinzas no alto da cabeça, na Celebração das Cinzas. Ela expressa perfeitamente o modo como devemos viver o tempo litúrgico da quaresma: um tempo privilegiado para a conversão.

 
Grandes ensinamentos do humilde São João da Cruz PDF Imprimir E-mail

SJdaCruzSeu nome era João de Yepes, espanhol. Foi um dos santos mais desconcertantes e ao mesmo tempo mais transparente da mística moderna. Era vinte e sete anos mais jovem do que sua amiga Santa Teresa de Ávila, que o chamava de seu “pequeno Sêneca”, por causa de sua baixa estatura. Amavelmente, Santa Teresa o chamava de “meio-homem”, mas não hesitava em considera-lo pai de sua alma. Dizia que não era possível conversar com ele sobre Deus em vê-lo em êxtase.

São João da Cruz foi um grande mestre da vida espiritual. O resumo de sua vida monástica estava nessas palavras: “Não faça coisa alguma, nem diga palavra alguma, que Cristo não faria ou não diria se se encontrasse nas mesmas circunstâncias de você, e tivesse a mesma saúde e idade suas.”; “Nada peça a não ser a cruz, e precisamente sem consolação, pois isso é perfeito.”; “Renuncie aos seus desejos e encontrará o que o seu coração deseja”.

Conheça alguns ensinamentos que este grande santo e doutor da Igreja nos deixou:

 
Santa Teresa uma religiosa inquieta PDF Imprimir E-mail

TeresaDAvilaEstamos celebrando o V centenário do nascimento de Santa Teresa de Ávila(1515-1582) e é uma grande graça de Deus que este ano se celebre também, por desejo do Papa Francisco, o ano da Vida Consagrada. Teresa teria exultado de alegria diante da carta que o Papa tem enviado a todos os consagrados e consagradas do mundo. Uma carta que abre o coração dos que olham o passado com gratidão, vivem com paixão o presente, sabe ver novos horizontes diante de si e tem no coração um grande amor pela Igreja. Hoje em dia o Papa tenta com todos os meios de “acordar-nos” do nosso sono de mediocridade que nos impede de viver com entusiasmo renovado a nossa fidelidade à missão que nos é confiada. E preciso abrir os olhos e colocar os óculos das bem-aventuranças para ver que uma nova vida consagrada está surgindo com nova modalidade e com uma força que nem sempre sabemos acolher nos nossos corações endurecidos.

Numa série de reflexões que quero escrever para Zenit sobre Santa Teresa de Ávila, gostaria de tocar vários temas que fazem desta mulher uma pessoa de qualidades raras e que soube de verdade colocar a frutificar os talentos que recebeu de Deus. Não foi enterrá-los, mas os fez frutificar, indo contra todas as correntes de seu tempo. Não teve medo. E sabemos como nos momentos mais difíceis de sua vida, quando também a ela as noites, os desertos e os medos a torturavam por dentro, diante das dificuldades para realizar a obra das fundações dos Carmelos, normalmente sentia a voz do Senhor que lhe dizia: “por que você tem medo, de que tem medo? Te deixei alguma vez sozinha? Os teus negócios são os meus negócios. Não tenhas medo!” Estas palavras lhe infundiam uma coragem nova e era capaz de enfrentar numa maneira “feminina e teresiana” qualquer pessoa. Sabia entrar na amizade e sabia falar de Deus e dos projetos de Deus com uma força única, que mesmo os mais adversos inimigos não podiam resistir-lhe.

 
Provérbios, em busca da Sabedoria PDF Imprimir E-mail

Kénosis, 10 de dezembro de 2014.Rogerio-Santos4

“Que o sábio escute, e aumentará seu saber,
e o homem inteligente adquirirá prudência
para compreender os provérbios,
as alegorias, as máximas dos sábios e seus enigmas.”
Pr 1,5-6

 

O Livro dos Provérbios encerra uma grande sabedoria para aqueles que desejam percorrer o caminho de santidade. Os conselhos estão orientados a conduzir-nos por uma via de coerência entre o discurso e a prática, entre aquilo que desejamos e a atitude que havemos de ter para viver segundo o que professamos.

 
Santidade e Combate Espiritual PDF Imprimir E-mail

SMichaelA principal intenção da beata Elena Guerra nas correspondências que dirigiu ao papa Leão XIII, no final do século XIX, era relembrar a necessidade de invocação do Espírito Santo para a santificação dos fieis e renovação da face da terra. Ao dirigir sua primeira carta ao sumo pontífice, ela escreve: “Santo Padre, o mundo é mal, o espírito de satanás triunfa na pervertida sociedade e uma multidão de almas se distancia do Coração de Deus. [...] Somente o senhor pode fazer com que os cristãos retornem ao Espírito Santo, para que o Espírito Santo retorne a nós, abata o domínio do demônio e nos conceda a desejada renovação da face da terra.”

 

Além da clara intenção de colocar em relevo a reflexão, culto e devoção ao Espírito Santo, percebemos implícito em sua obra, uma preocupação com aquilo que diz respeito ao combate espiritual que enfrenta diariamente todos os fiéis. Nesse combate, estaria, de um lado, o espírito de satanás que procura perverter a sociedade e fazer perder as almas; e de outro, o Espírito de Deus, que “abate o domínio do demônio”, ou seja, livra-nos da servidão do pecado, e “renova a face da terra”, isto é, transforma a sociedade pervertida em “novo céu e nova terra”.

 

É interessante notar que dentre tantos temas relevantes e que poderiam ser tratados pela Beata em sua comunicação com o Papa, ela tenha começado justificando a necessidade de um clamor ao Espírito Santo para o enfrentamento do Maligno. Essa doutrina de Elena Guerra encontra respaldo na verdade do Evangelho em que Jesus diz: “Se é pelo Espírito de Deus que expulso os demônios, então chegou para vós o Reino de Deus.” (Mt 12,28).

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 Próximo > Fim >>

Página 2 de 6