"Esvaziou-se a si mesmo..." (Flp 2,7)

Monday, 20 August 2018

  • Slide image one
  • Slide image two
  • Slide image three
Reflexões
Brevíssima reflexão Kénosis PDF Imprimir E-mail

Esvaziar-se, tão necessário a nós.


Deus tem uma predileção pelo vazio: 

"A terra estava sem forma e Vazia" - "FAÇA-SE a luz"

Maria: "Como se fará isso? pois não conheço homem algum" - "O Espírito Santo descerá sobre ti, e a força do Altíssimo te envolverá com a sua sombra." "FAÇA-SE em mim, segundo a vossa palavra"

Maria: "Eles já não têm vinho" - "FAZEI o que Ele vos disser"

O FAÇA-SE parte de onde não existe nada. Estar vazio não é o fim, e sim o começo!

Esvaziar-se, se faz necessário. 

 

Juninho

 

 

Juninho Cassimiro

Discípulo Missionário Kénosis

 
O lado de lá e o lado de cá PDF Imprimir E-mail

D-AlbertoDom Alberto Taveira Corrêa, arcebispo de Belém do Pará, reflete sobre o Dia de todos os Santos e a Comemoração dos Fiéis falecidos.

Belém do Pará,

O calendário da Igreja nos oferece, neste final de semana, duas faces da magnífica medalha cunhada por Deus, que é a nossa vida, o Dia de todos os Santos e a Comemoração dos Fiéis falecidos; Olhamos primeiro para o ponto de chegada, que corresponde ao magnífico destino para o qual fomos criados, a plenitude da vida e da felicidade junto de Deus, “uma multidão imensa de gente de todas as nações, tribos, povos e línguas, e que ninguém podia contar” (Ap 7, 9). Temos a certeza de que Ele não fez ninguém para a perdição, mas todos têm em si a vocação para a plena realização de todas as suas potencialidades. Tanto é verdade que o Pai do Céu enviou seu próprio Filho, como nosso Salvador e Redentor, para que todos tenham vida, e vida em abundância (Jo 10,10).

Vida plenamente humana é aquela que enxerga o horizonte aberto pelo próprio Deus. A Solenidade de todos os Santos indica a perspectiva da existência marcada por uma realidade descoberta pela fé: “Desde já somos filhos de Deus, mas nem sequer se manifestou o que seremos! Sabemos que, quando Jesus se manifestar, seremos semelhantes a ele, porque o veremos tal como ele é” (1 Jo 3,2). Santidade é para todos! Se nos alegramos com a iminente canonização de dois papas do nosso tempo, os Beatos João XXIII e João Paulo II, é para que sejam reconhecidos como referência e como possibilidade. São duas personalidades carregadas de humanidade, cujo percurso histórico nesta terra teve muito de parecido conosco. São homens que vieram de famílias muito simples, lutaram e amadureceram em tempos de grandes desafios, com a provocação das ideologias do século XX. Souberam dialogar com a cultura de nossa época, alegraram-se e sofreram com as mesmas realidades que até hoje nos envolvem. Percorreram o caminho dos bem aventurados, de olhos fixos naquele que é “o bem-aventurado”, Jesus Cristo: os pobres em espírito, dos quais é Reino dos Céus; os aflitos, que serão consolados; os mansos, porque possuirão a terra; os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados; os misericordiosos, que alcançarão misericórdia; os puros de coração, porque verão a Deus; os que promovem a paz, chamados filhos de Deus; os que são perseguidos por causa da justiça, de quem é o Reino dos Céus! Homens e mulheres que se descobriram felizes quando injuriados e perseguidos por causa de Cristo. Pessoas portadoras de uma alegria invencível, certos da recompensa nos céus (Cf. Mt 5, 1-12).

 
BELEZA E VERDADE - Com razão se enamoram de ti... (Ct 1,4) PDF Imprimir E-mail

natureza01Como não se enamorar de Ti?

A Beleza sem a verdade é efêmera, não sobrevive ao tempo.

A beleza é essa “linguagem universal, que nos faz pensar e ser pensados pelo Criador. É a luz que nos dá lucidez, clarividência, visão clara e abrangente no claro-escuro e no fragmentário em que nos movemos, aos tropeços.” (Frei Dino Costa,OFM)

Tu, Senhor, és a plenitude da Beleza e da Verdade. Verbo Eterno, no tempo encarnado, sempre Belo e Verdadeiro.

Mas por que o profeta referindo-se a Ti afirma: “não tinha beleza nem esplendor que pudesse atrair o nosso olhar, nem formosura capaz de nos deleitar” (Is 53,2)? Talvez seja porque visualizava refletido em Ti as nossas imperfeições. Não foste Tu quem perdestes a beleza, mas nossas imperfeições quem desfiguraram Tua carne, nos impedindo de enxergar Teu coração que, mesmo sofrendo nossas culpas, continuava com Beleza interior resplandecente. É com razão que afirmaste: “e, quando eu for elevado da terra, atrairei todos a mim” (Jo 12,32). Se por um momento Tua beleza manteve-se escondida e ofuscada ante nosso olhar, é para que pudéssemos ser atraídos a Ti. Configurastes-te a nós ficando “sem formosura” ao assumir nossa culpa, para que pudéssemos ser configurados à Ti, transfigurando-nos em Tua beleza.

A eternidade não apenas conhece tua beleza, mas autentica vossa Verdade. Pois, se fosses apenas Beleza sem Verdade, já não mais existirias. Todavia, sendo “sempre” Belo, revela-se também verdadeiro. Não apenas tens beleza, mas és a própria Beleza. Com razão se enamoram de ti...

 
Antes que venha o dia eterno PDF Imprimir E-mail

Sol01Eu sempre imaginei que ao meio-dia a luz do Sol fosse intensa. Devo confessar, porém, que até então eu não havia sentido o seu ardor...
Acostumado apenas com o Sol da manhã, sentia em minha face o ardor suave que me aquecia e prenunciava novos dias, sem tardes nem noites.

Eram sempre manhãs, claras, curtas, iluminadas e sempre novas. Por um tempo, desejei que a vida fosse feita apenas de manhãs. A chuva na manhã é poesia, refresca, fecunda o solo e encanta. O vento matutino é compositor, organiza as notas numa escala livre, quase sem acidentes, compondo sempre novas canções e deixando árvores e flores num sincronizado movimento capaz de impactar o restante da natureza num feliz assombro.

Sempre fascina-me o amanhecer. Dos pássaros, a melodia em tom maior desperta, alegra e convida a por-se em pé o corpo descansado e a alma desejosa de novos sonhos.Com a branda luz projetada no rosto, ficam para trás as sombras de tons suaves que, embora sombras, não causam espanto nem escondem o dia anterior. Naquela hora do dia tudo é claro, mesmo as sombras. Infeliz daquele que reclama na manhã. O que fará quando a noite escura chegar?

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 Próximo > Fim >>

Página 5 de 5